Tuesday, 30 March 2010

Aula 24.03.10 - A Internet e a Campanha de Obama


video

Manuel Castells, em 'Yes We Can!' The Obama Presidential Primary Campaign, conduz o leitor a uma reflexão sobre a importância que os novos media - particularmente a Internet - tiveram na campanha presidencial de Barack Obama. Para além de demonstrar o impacto que a comunicação digital pode ter no mundo político, Castells ainda evidencia inúmeros exemplos de como a estratégia de mobilização do actual Presidente dos Estados Unidos alcançou sucesso.


A Internet foi um factor chave, possibilitou de uma forma simples e fácil receber donativos individuais, mobilizou a população mais jovem para a actualidade política do país através de uma interacção das redes sociais; contando com o apoio da pop culture que reforçava ainda mais a sua ligação à cultura jovem.
[NB: A informação veiculada na Internet é também propicia a rumores que podem corromper credibilidades. Ver From Media Politics to Scandal Politics (p.397)]

Para além da riqueza em dados estatísticos, o texto em questão remete-nos para conceitos dados em aula de carácter essencial para o estudo da comunicação digital. A Sociedade em Rede é de fácil compreensão se pensarmos como toda a campanha presidencial dos Estados Unidos correu o mundo, remetendo-nos assim para o facto da comunicação em rede ser muito mais rápida e para a actual redefinição de identidades - somos cidadãos do mundo. A combinação e articulação de vários formatos e conteúdos mediáticos, a chamada Convergência está presente, por exemplo no vídeo online produzido por will.i.am que articula o discurso de Barack Obama (texto), áudio e vídeo. Podemos mesmo referir a existência de Interacção entre os media, na mediada em que debates, entrevistas, discursos televisivos circulavam no meio online - YouTube, Facebook, MySpace - de forma complementar. Assim, conteúdos já mediados pela televisão encontram, pois, nos novos media a Remediação. E toda esta Articulação em Rede (links, tags, texto, áudio, vídeos) difundia-se em redes sociais, blogs, mobilizando, assim, toda a comunidade.

Recomendando a leitura integral do texto, termino esta breve exposição, recorrendo à conhecida expressão de McLuhan: O meio é a mensagem. Em oposição, Castells afirma que a mensagem se sobrepõe ao meio, que a tecnologia não determina o conteúdo mas sim possibilita fluxos de comunicação que determinam significados culturais. Agora vejamos, the core of Obama's campaign message: hope, coupled with change (Castells, 383). Foi através do seu discurso, da mensagem que comunicava que venceu as eleições presidenciais contra todas as expectativas - um negro que procurava uma política de verdade - mostrando talvez um novo caminho para relação entre comunicação e poder. A tecnologia, a Internet, moldou-se à mensagem, suplantando o significado de mudança. A questão que deixo em aberto é: teria tudo isto sido possível sem a Internet? Sim? Não? Talvez? Ou ainda, teria sido possível sem a mensagem?
Joana Almeida - T1
130307007

1 comment:

  1. Em relação ao uso da Internet na campanha de Obama penso que ela trouxe duas mudanças: uma delas foi o facto de ter conseguido alcançar o eleitorado mais jovem, uma vez que a campanha foi feita, também, através de meios mais próximos da juventude como o FaceBook. Outra mudança de carácter bastante importante, foi o facto de ter sido uma campanha falada e abordada em todo o mundo. Claro que as campanha nos EUA têm sempre uma importância enorme e os meios de comunicação social dão-lhe uma elevada atenção, no entanto, a campanha de Obama, para além de ter tido ainda mais atenção também foi um factor de aproximação das pessoas contribuindo para a sociedade em rede.
    Respondendo agora às questões que a Joana deixou em aberto penso que, e iniciando a resposta à segunda pergunta, a mensagem de Obama tratava-se de uma mensagem forte, clara e directa e foi um dos principais factores, se não o principal, que o fez ganhar as eleições americanas. Por estas razões penso que sem a mensagem esta campanha não teria sido possível. O uso da Internet na campanha de Barack Obama foi um ponto de viragem neste meio. Para além de, como referi acima, ter conseguido angariar um eleitorado mais jovem, permitiu que esta campanha fosse constantemente acompanhada por qualquer pessoa a partir de um click. Assim, defendo que o uso da Internet na campanha de Obama fez toda a diferença e que sem esta, os principais objectivos pretendidos por Obama não teria sido alcançados. A internet teve ainda um papel fundamental nesta campanha na medida em que proporcionou que pessoas de todo o mundo tivessem em contacto praticamente directo com esta, aproximando assim as pessoas e diluindo as fronteiras, o que contribui para a ideia de sociedade em rede defendida por Castells.
    Como conclusão posso dizer que esta campanha cooperou para a Sociedade em Rede. Foi engraçado acompanhar esta campanha e ver que as pessoas de todo o mundo esperavam atentamente a eleição do presidente dos EUA e viam nele a salvação tanto para a América como o seu próprio país, dando assim a ideia de estarmos todos interligados e de que o que acontece num determinado lugar do globo tem repercussões do outro lado do mundo.

    ReplyDelete